O Javascript do seu navegador está desativado, você poderá ter problemas.

Projetos e Atividades

Carteiras escolares no lugar de cadeiras de chefe

Data: 27/09/2017

Importantes representantes da Economia na América do Sul visitam o Colégio Humboldt de São Paulo

São Paulo – No dia 21 de setembro, o Colégio Humboldt realizou, pela segunda vez, o evento “O Colégio encontra…”, com a presença de aproximadamente 300 pessoas. Reunindo personalidades ou importantes representantes da vida pública, esta mesa-redonda oferece aos alunos uma valiosa troca de ideias. Após a visita dos famosos “Scorpions”, no ano passado, desta vez foram convidados renomados representantes da Economia brasileira. O evento foi moderado por Carina Cipriano, estudante de Gestão Comercial, Laura Saenz, aluna do 11º ano do ramo brasileiro e o alemão Philipp Köhler, que está se formando no Abitur. Os diretores das áreas DaF, Ingo Umstätter, e Formação Profissional Dual, Heiko Weinhappl, cuidaram da organização do encontro.

Hans Wagner, diretor da Formação Profissional e da Formação Contínua, deu as boas vindas ao público e aos convidados da mesa-redonda: Philipp Schiemer, Presidente da Mercedes do Brasil, Martin Gellert, CFO da Bayer do Brasil, e Niklaas Hofmann, do Instituto de Formação da Confederação Sindical Alemã (DGB). Sebastian Fuchs, Conselheiro Cultural do Consulado Geral da Alemanha, destacou a importância da interligação entre escolas e instituições econômicas, qualificando eventos desse tipo como ”altamente necessários para a troca de informações”.

 

Vida escolar e experiências interculturais

Na primeira parte do evento, os convidados responderam a perguntas sobre sua vida escolar. Philipp Schiemer deixou claro que não é preciso ser o melhor da classe para obter êxito profissional. Para Martin Gellert, a formação Dual de assistente administrativo revelou-se um trampolim para sua carreira: “Posso recomendar a formação Dual para qualquer pessoa”. Niklaas Hofmann enfatizou que, mesmo que nem todo o conteúdo aprendido na escola seja usado posteriormente, uma boa formação escolar é fundamental para o futuro sucesso. Na área de experiências interculturais, também houve assuntos interessantíssimos. Em relação à comida, Schiemer afirmou: “a feijoada está à altura das Lentilhas com Spätzle (um tipo de macarrão alemão).” Gellert, que já viveu em vários países da América do Sul, considera o Brasil “o país mais atraente do continente”, pois une um povo amigável com paisagens maravilhosas.

 

Brasil – crise sem fim ou fim da crise?

Na parte principal foi apresentado um filme notável (goo.gl/GR3oqD), produzido por alunos do 1º ano da Formação Dual como parte de um projeto. A discussão que se seguiu mostrou com nitidez que a Mercedes, uma empresa que depende muito do mercado interno, foi muito mais afetada pela crise que a Bayer. Mas também foram apresentadas possíveis saídas para a pior crise econômica enfrentada pelo Brasil em sua história. Schiemer alertou para a necessidade de segurança jurídica e de urgentes reformas no mercado de trabalho. “Sem medidas nesse sentido, a motivação das empresas em investir no país continuará baixa – é uma responsabilidade da política.”

Hofmann destacou a necessidade de não perder de vista os direitos dos trabalhadores, elogiando os empresários presentes pela boa cooperação com os sindicatos. Gellert invocou os alunos a respeitar a conformidade e as regras. “Joguem conforme as regras – respeitar as regras é fundamental, não apenas para as empresas, mas para toda a sociedade”, apelou o empresário. Hofmann endossou estas palavras, pedindo aos alunos que adotem uma postura correta e crítica, sempre questionando as coisas. Os participantes concordaram na avaliação de que o fundo do poço tenha sido atingido, mas que a crise ainda não estaria superada.

No final, o público pôde fazer perguntas aos convidados. Julia Homsi, comerciante industrial no 2º ano de formação, perguntou que argumentos poderiam convencer os jovens a ficar no Brasil. “Os jovens brasileiros devem conhecer o exterior, mas é mais importante que retornem ao país após a conclusão de seus estudos ou de sua formação”, afirmou Schiemer.

Com duração de 90 minutos, o evento terminou com muitos aplausos, mas a discussão sobre esse tema importante continuou por muito mais tempo.